segunda-feira, 22 de outubro de 2007

A decepção dos marmanjos

Este blog anda causando decepção em muito marmanjo por aí. O nome faz pensar ser um blog de conteúdo erótico, mas jamais será. Meu objetivo aqui é falar sobre coisas que as mulheres pensam, fazem, questionam e sentem sem nenhuma censura.

Meninos queridos. querem ver bundas, xoxotas, peitos siliconados?
Voltem para o Google e perocurem por lá!
E vou dar uma ajudinha: digitem gatas que vocês vão fazer a festa! Pedaço de carne é o que não falta por ali.



sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Esta estranha utopia - por Fernando Mascarello


Mais um dos bons textos que recebo por email:



Qualquer coisa no mundo precisa de um paradoxo para existir (o editor vai adorar esta frase). Isso é fato! Não existe salgado sem doce, mal sem bem, paz sem guerra, carioca sem paulista, Corinthians sem Palmeiras. Tudo é um contra-ponto de outra coisa, e não tem mandinga ou novena que dê conta de mudar isso.

No seu novíssimo livro (Aritmética), Fernanda Young, apresenta a personagem Mariana, que reflete: "Eu preciso dele para ser? Está certa de que houve, e sempre há de haver, mulheres que simplesmente são. Alguma coisa. Sem necessitar do homem como paradoxo. E ela não é a garotinha de marmanjo algum. Pode perfeitamente viver sem Rigel ou sem nenhum outro."

Vá lá que Mariana, ou qualquer mulher, possa viver sem o seu Rigel, Paulo, Júlio, Marcos, ou quem quer que seja. Mas, antes de tentar isso, deve-se perguntar se realmente vale a pena. E, em que outro paradoxo, que não um peludo de educação duvidosa, ela vai basear sua vida. Eu respeito o modo de pensar de Fernanda Young, mas não posso concordar. É como sempre disse: "se não posso viver pelas mulheres, então que eu morra por elas".

Não importa quão bem sucedida ela seja, nem o número de amigas, diplomas, sapatos e vezes que vai à academia ou clínica de estética. Sem um paradoxo, por mais calvo que seja, ninguém vive. Não consigo ver mulheres, homens, Léo Áquilas, ou coisa que o valha, vivendo disso, ou daquilo, que não seja um outro ser para dividir a cama, o sofá ou a mesa da cozinha vez por outra. Seria como estar solitário e nu em uma praia deserta: não vale de nada (a não ser que você tenha uma câmera fotográfica com timer).

Aí, chega uma espertinha se dizendo ultra-independente, que não precisa de nada. Sabe o tipo? Daquelas que bate o escanteio e vai para a área cabecear? Daquelas que tomam cabernet? Temíveis, não? Pois é! Mas nem estas podem viver "desparadoxadas". Pois, podem parecer totalmente autótrofas, que tudo que as tange, quando tange, é desprezível. Mas na força delas, é, exatamente onde se encontra a fraqueza. De tão independentes, se tornam dependentes da própria independência. Quando poderiam perfeitamente depender de um "vem cá minha nêga" bem dado. É um tanto confuso eu sei, mas o que você estava esperando? estou falando de mulheres!

Não que adiante ficar sonhando com o "paradoxo" encantado. Mas escolham um honesto, limpinho e que use fio dental, pronto. Pode não ser perfeito, mas posso garantir que é muito mais divertido que viver vazia.

Ai, que nojo! Não sei como é que pode ter mulher no mundo que goste de homem peludo. Olha só pra isso! Pensem neste homem suado... ECA! Que coisa mais anti-higiênica! Imagina se este bofe pega piolho! Não há Scabin, nem creolina que dê jeito.

Uma vez eu estava paquerando um cara beeeeem de longe, mas dava pra ver que ele era lindo. Fazia um frio danado lá em Campos do Jordão, todo mundo muito agasalhado. Quando ele se aproximou eu notei uns pelinhos saindo da gola. Que noite perdida! passei o tempo todo paquerando o king-kong. Inventei uma desculpa e voltei para o hotel na hora. Não dá! Pêlo saindo pela gola é demais para o meu frágil estômago.


Tão somente um pedaço de carne!


Nunca fui ciumenta. Sempre tive aquela segurança pretensiosa de que ninguém no mundo pode ser melhor que eu, e que pra tirar quem quer que seja de mim, tem que rebolar muito. E não é que apareceu, uma vez, uma dançarina e, catapimba!, lá se foi o namorado!!! Acho que é por isso que eu odeio axé. Além de ser de péssima qualidade, ainda trazem consigo umas vacas rebolativas, que só sabem mostrar a bunda. Mulher é um problema sério. Adora se vender como um pedaço de carne. E a maioria não faz muita questão de ser mais do que isso. Sempre preocupadas mais com a aparência do que com o conteúdo, não é difícil encontrar por aí uma mocinha que saiba tudo sobre as tendências para o outono/inverno 2008 e absolutamente nada sobre o que aconteceu ontem, no mundo. Gastam horas do dia entre academia, clínica de estética e salão de beleza e dizem que não têm tempo para ler. Todas lindas, e burras. Intelectualmente desprezíveis, inúteis, ou seja: um pedaço de carne.
E essa mania de trepar à torto e à direita? Antigamente as mulheres pensavam mais antes de dar pra um cara, agora, coleguinhas, é uma piscadinha e uma trepadinha. Não que eu seja moralista, mas vamos e venhamos, precisa mesmo dar pra todo mundo?
Reparem só, quando saírem à noite, da próxima vez, a quantidade de mulher que se veste para parecer vadia. Às vezes nem o são, mas acham que precisam apelar sexualmente para chamar a atenção.
Quantas mulheres que não fazem absolutamente nada ficaram famosas por ter dado pra alguém famoso? A lista é grande: Mary Alexandre e Núbia de Oliveira figuram entre as mais "bam-bam-bans"! O que é que essas pragas fizeram na vida a não ser terem dado pra algum figurão? Na-da! Não são modelos, não são artistas, não são inteligentes, não são nada além de gostosas. Depois, o Clodovil diz que a mulherada trabalha deitada e descansa de pé e todo mundo (menos eu - essa carapuça não me serviu) fica ofendido. Ele tá certo, muito certo!
Mulheres têm que entender que, enquanto continuarem se oferecendo como um produto, jamais serão respeitadas.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Mulher moderna é a puta que o pariu!


Eu tinha este texto (autoria desconhecida) no meu outro blog e, como o acho muito interessante, resolvi postá-lo novamente:



São 6:00h...
O despertador canta de galo e eu não tenho forças nem para atirá-lo contra a parede...
Estou tão cansada... não queria ter que trabalhar hoje... Queria ficar em casa, cozinhando, ouvindo música, cantarolando... Se tivesse filhos, gastaria a manhã brincando com eles, se tivesse cachorro, passeando pelas redondezas... Aquário? Ficaria olhando os peixinhos nadarem...
Se eu tivesse tempo... Gostaria de fazer alongamento...Brigadeiro... Tudo, menos sair da cama e ter que engatar uma primeira e colocar o cérebro para funcionar.
Gostaria de saber quem foi a mentecapta, a infeliz matriz das feministas que teve a estúpida idéia de reivindicar direitos de mulher... Queria saber porque ela fez isso conosco, que nascemos depois dela...
Estava tudo tão bom no tempo das nossas avós... Elas passavam o dia a bordar, trocar receitas com as amigas, ensinando-se mutuamente segredos de molhos e temperos, de remédios caseiros, lendo bons livros das bibliotecas dos maridos, decorando a casa, podando árvores, plantando flores, colhendo legumes das hortas, educando as crianças, frequentando saraus.
ENFIM, a vida era um grande curso de artesanato, medicina alternativa e culinária.
Aí vem uma fulaninha qualquer que não gostava de sutiã nem tão pouco de espartilho, e contamina várias outras rebeldes inconsequentes com idéias mirabolantes sobre "vamos conquistar o nosso espaço"!!! Que espaço, minha filha???
Você já tinha a casa inteira, o bairro todo, o mundo aos seus pés. Detinha o domínio completo sobre os homens, eles dependiam de você para comer, vestir, para tudo!!! Que raio de direitos requerer ?
Agora eles estão aí, são homens todos confusos, que não sabem mais que papéis desempenhar na sociedade, fugindo de nós como o diabo foge da cruz... Essa brincadeira de vocês acabou nos enchendo de deveres, isso sim. E nos lançando no calabouço da solteirice aguda.
Antigamente, os casamentos duravam para sempre, tripla jornada era coisa do Bernard do vôlei - e olhe lá, porque naquela época não existia Bernard do vôlei.
PORQUE ???..me digam PORQUE um sexo que tinha tudo do bom e do melhor, que só precisava ser frágil, foi se meter a competir com o macharedo? Olha o tamanho do bíceps deles, e olha o tamanho do nosso. Tava na cara que isso não ia dar certo!!!
Não aguento mais ser obrigada ao ritual diário de fazer escova, maquiar, passar hidratantes, escolher que roupa vestir, e que sapatos combinar, que acessórios usar... tão cansada de ter que disfarçar meu humor, que sair sempre correndo, ficar engarrafada, correr risco de ser assaltada, de morrer atropelada, passar o dia ereta na frente do computador, com o telefone no ouvido, resolvendo problemas que nem são meus!!!
E como se não bastasse, ser fiscalizada e cobrada (até por mim mesma) de estar sempre em forma, sem estrias, depilada, sorridente, cheirosa, com as unhas feitas, sem falar no currículo impecável, recheado de mestrados, Doutorados, e especializações (ufffffffffffffffffff!!!!!!!).
Viramos super mulheres e continuamos a ganhar menos do que eles... Não era Muito melhor ter ficado fazendo tricô na cadeira de balanço? CHEGAAAAAAA!!!... Eu quero alguém que pague as minhas contas, abra a porta para eu passar, puxe a cadeira para eu sentar, me mande flores com cartões Cheios de poesia,faça serenatas na minha janela...
Ai, meu Deus, já são 7:30,tenho que levantar!...
E tem mais, quero alguém que chegue do trabalho, sente no meu sofá, coloque os pés pra cima e diga "meu bem, me traz um cafezinho, por favor?". Descobri que nasci para servir.
Vocês pensam que eu tô ironizando? Tô falando sério! Estou abdicando do meu posto de mulher moderna.... Troco pelo de Amélia. Alguém se habilita?

Voltei!

Depois de meses fora da blogosfera, estou de volta com um novo blog.
Será que eu ainda sei fazer isso?
Tem tantas novidades no ar!!! Já apanhei um tanto hoje cedo, para colocar este cabeçalho aí em cima. Mas eu sou brasileira e não desisto nunca!
Agora tenho que tratar de fazer novos contatos pela blogosfera.

Beijos estalados a todos!
BlogBlogs.Com.Br